Como manter sua condição de segurado do INSS do Brasil mesmo após mudar de país


Podemos afirmar, com toda segurança, que depois de uma certa idade um pensamento comum a quase todos os seres humanos é que a vida passa muito rápido. No caso de quem muda para um outro país a impressão é que o tempo corre ainda mais depressa pois nossa cabeça gira em torno de duas culturas, duas legislações, duas regras distintas em quase todos os temas de nossa vida quotidiana.


E se há um tema que não podemos ser apenas um telespectador da nossa própria vida esse tema é a nossa vida profissional e suas consequências. Temos que ter muito claro o quanto já percorremos em nossa jornada laboral e, ainda, o quanto iremos percorrer quando olhamos para o futuro.


A Previdência Social é justamente uma consequência dessa nossa jornada laboral da qual temos que estar plenamente conscientes. Ela é um seguro público que permite requerer, mediante regularidade do pagamento das contribuições, Auxílio Doença, Acidente de Trabalho e Doença Profissional, Auxílio Maternidade, Pensão por Morte, Aposentadoria e até mesmo Auxílio Reclusão.


No caso de quem não reside mais no Brasil, a grande pergunta é: Vale a pena continuar contribuindo?


Certamente, para cada caso há uma resposta específica. De qualquer maneira, em linhas gerais, visando a manutenção da qualidade de Segurado, de forma a permitir o requerimento de qualquer dos benefícios acima mencionados, a resposta certamente é sim!